Capitalismo, desejo e política: Deleuze e Guattari leem Marx

Autor(es) Rodrigo Gueron. ISBN 978-65-87079-08-0
R$ 48.90

Acima de 10 livros, desconto de 10%.

Comprar
10 ou mais
  • Sobre o Livro
  • Informações adicionais
  • Sumário
  • Autores

Quais os usos, diálogos e aproximações que Gilles Deleuze e Félix Guattari travam com Karl Marx? Esta obra trata das relações que os dois filósofos franceses estabelecem as ideias de Marx e o pensamento crítico ao capitalismo. Entre semelhanças e diferenças, apropriações e deslocamentos, aborda o surgimento da economia política em David Ricardo e Adam Smith e o surgimento da psicanálise em Freud, articulando trabalho abstrato e libido, chave do “marxismo” de Deleuze e Guattari. Esta mesma chave irá ajudá-los a se opor, em alguns aspectos decisivos, a Freud, Lacan e à psicanálise, não sem um acolhimento decisivo da inventividade revolucionária de Freud e da releitura criadora feita por Lacan.

Neste que é seu segundo livro, Rodrigo Guéron analisa com acuidade e rigor o entrecruzamento de ideias e conceitos encontrados nas diversas obras desses três filósofos. Entre outros temas abordados, destacamos: a crítica ao negativo hegeliano e à dialética materialista; teoria do Estado e tipologia das máquinas sociais, da máquina territorial à despótica; a “dívida” e não a “troca” como base do surgimento de um socius; matéria-intensiva e  energia intensa recalcada; as sociedades nômades e as máquinas de guerra; a máquina despótica e a instalação do Estado como aparelho de captura; a mais-valia de código; a máquina paranoica; o “Urstaat”; a “teoria dos axiomas” ou a “axiomática capitalista”; concepções de natureza e críticas à naturalização; as três sínteses do inconsciente: a síntese conectiva, a síntese disjuntiva e a síntese do consumo.

Edição
Páginas 464
Ano de publicação 2020
Acabamento Brochura
Peso 0.530kg Dimensões 23 × 16 × 1.8 cm

SUMÁRIO

Apresentação

Capítulo I: Economia política e desejo

1. Trabalho abstrato e libido: economia política e psicanálise
2. As primeiras linhas d’O Anti-Édipo — Capitalismo e esquizofrenia.
Algo como uma introdução
3. Guattari
3.1. Análise institucional e transversalidade
3.2. O conceito de grupo e a esquizoanálise

4. Deleuze
4.1. Diferença e Capitalismo I
4.2. As ilusões sobre a diferença: a diferença esvaziada
4.3. Diferença e capitalismo II
4.4. A crítica ao negativo hegeliano. Marx contra a dialética?

Capítulo II : Teoria do Estado e tipologia das máquinas sociais em Deleuze e Guattari – 1ª Parte – Da máquina territorial à máquina despótica

1. A “dívida” e não a “troca”: o surgimento de um socius

1.1. Uma “economia no início”

2. A tipologia relativa das máquinas sociais e teoria do Estado em Deleuze e Guattari

2.1. Matéria-intensiva e topologia das máquinas sociais
2.2. A energia intensa recalcada: a máquina territorial primitiva
2.3. As sociedades nômades e as máquinas de guerra: “antecipar e conjurar o Estado”
2.4. A máquina despótica: a instalação do Estado, o aparelho de captura
a) A mais-valia de código
b) A máquina paranoica. O “Urstaat”
c) A “tirania do significante”, o Estado e a “imagem do pensamento”

Capítulo III : Teoria do Estado e tipologia das máquinas sociais em Deleuze e Guattari – 2ª Parte – A máquina social capitalista

1. Da máquina despótica à máquina capitalista civilizada

1.1. O aparelho de captura: acumulação e estoque a partir e além de Marx
1.2. Sociedades urbanas e organizações internacionais

2. Deleuze e Guattari leem O Capital

2.1. Marx e a acumulação primitiva
2.2. Dinheiro engendra dinheiro: a produção de valor no capitalismo
2.3. A “relação diferencial”: a mais-valia segundo Deleuze e Guattari

3. A “teoria dos axiomas” ou a “axiomática capitalista”

3.1. Da codificação pré-capitalista à axiomática capitalista
a) A definição e a função dos axiomas no capitalismo
b) Do capital de aliança ao capital filiativo: a “conjunção” dos fluxos de desejo
c) A teoria da lei da baixa tendencial da taxa de lucro

3.2. Produção e contraprodução no capitalismo
a) Mais-valia, vida e morte: produção, violência e fascismo
b) A produção da imbecilidade

3.3. Axiomatização e produção de enunciados

3.4. Os tipos de axiomas e os exemplos históricos
a) Axiomas adjuntivos e axiomas subtrativos
b) Alguns exemplos de produção de axiomas na história do capitalismo

Capítulo IV : A máquina desejante e as três sínteses do inconsciente

1. O Marx do Grundrisse

1.1. Concepções de natureza e críticas à naturalização: Grundrisse e Manuscritos de 1844 249
1.2. Produção, circulação, distribuição e consumo segundo Marx
a) Produção e consumo
b) Distribuição
c) Troca e circulação
d) Produção de subjetividade e General Intellect

2. As três sínteses do inconsciente

2.1. A primeira síntese do inconsciente: a síntese conectiva. A produção da produção
2.2. A segunda síntese do inconsciente: a síntese disjuntiva. O registro e o surgimento do socius
2.3. A terceira síntese: a síntese do consumo. O aparecimento de um sujeito

Capítulo V: As diferenças entre Deleuze, Guattari e Marx

1. Desejo versus necessidade

2. Enunciados de organizações de poder em vez de ideologia

2.1. Agenciamentos, produção de enunciados e os diferentes regimes de signos
a) O regime pré-significante
b) O regime significante
c) O regime pós-significante ou passional: o sujeito
d) O regime contra-significante

2.2. Máquinas abstratas, diagramas

3. Linhas de fuga em vez de contradição

3.1. Classe e minoria
3.2. O fascismo

 

BIBLIOGRAFIA 

Produtos relacionados